Facebook

domingo, 8 de março de 2009

LILITH – A LUA NEGRA

Quem é, na verdade, esta figura mitológica que se perde na história do mundo?

Aqui, apenas citarei as duas versões que mais me agradam, pois os fatos falam por si só.

Diz a tradição apócrifa que Deus errou a “mão” quando criou a primeira mulher. O que para mim não é de se admirar, afinal não acho que ele tenha acertado até agora a “mão” na confecção do homem...

Brincadeiras à parte, Deus teria feito essa primeira mulher de barro e sopro, repetindo a fórmula de seu primeiro homem, nosso velho conhecido “Adão”. Tornando, assim, a mulher igual ao homem. Vindo deste, depara-se então com a luta frenética pela mulher buscando a igualdade de direitos em relação ao homem. Esta mulher arrogante alegava sua substancial igualdade para recusar sujeição ao marido. Amaldiçoada por Deus, abandonou o paraíso e foi habitar o deserto, na região do Mar Vermelho: "Lá onde habitam os demônios e espíritos malignos”.

Outra versão nesta mesma linha dá conta de Lilith ser a versão não contata de Eva. Eva teria tido filhos que foram mortos impiedosamente pelos anjos que alimentavam crescente ciúme por causa da atenção especial que Deus dispensava ao homem. Embrutecida por tamanha desgraça, afinal, qual mãe pode aceitar passivamente ter seus filhos arrancados violentamente de seus braços sem se revoltar ou enlouquecer?

Desta feita, Eva “pirou” e abandonou o “Jardim das Delícias” - que até poderia ser delicioso se lá não habitassem “anjinhos” tão graciosos - fugindo para os mundos subterrâneos, onde aliou-se aos demônios aprendendo as artes mágicas e a prática do vampirismo. Tornou-se um demônio dos mais poderosos da face da terra.

Foi no “inferno”, então, que Lilith tornou-se amante de Samael, nada menos do que o “Senhor das forças do Mal do Sitra Achra (do outro lado)”. Juntos, reinam sobre todos os males que castigam a humanidade. Desta união, muitos demônios nasciam por dia, pois Lilith os paria. Sim porque não podemos dizer neste caso que ela “dava a luz”. Seria muito irônico. Formando um verdadeiro exército conhecido como “liliotes ou linilins”. Tipo: o Chacrinha com suas Chacretes. A Xuxa com suas Paquitas, e assim por diante.

Deus ainda ficara com um problema nas mãos. Adão continuava sozinho. Desta forma então, nascia a segunda Eva, feita da “costela de Adão” em uma tentativa de Deus de evitar novas pretensões feministas.

Embora esta nova Eva fosse um subproduto de Adão, mais submissa que a anterior, não conseguiu frear sua curiosidade pela “maçã do conhecimento”, levando nosso pobre Adão a... “pecar”. Desta vez, o casal foi expulso do paraíso levando consigo toda a raça humana para fora dos domínios de Deus. Este por sua vez deve ter declarado: não brinco mais! Definitivamente não sou um bom artesão... E deve estar procurando até hoje um material mais adequado para construir um ser humano melhor.

E foi assim que o homem passou a conviver com um conflito interno: o Bem e o Mal. “Lilith representa a maldade em seu lado feminino inspirando desde os malogros da sorte às ações mais pérfidas dos indivíduos. São alguns dos "títulos" de Lilith: Rainha do Mal, Rainha da Noite, Mãe dos Súccubus, Mãe dos Demônios, Lua Negra (este último, uma relação com a simbologia astrológica)”.

Segundo Graziella Marraccini, na astrologia a Lua Negra descreve nosso relacionamento com o absoluto, como nos oferecemos em sacrifício para um desenho superior e de que forma abrimos mão de nosso controle para servir ao TODO. No trânsito, a Lua Negra indica alguns dos complexos de frustração e castração, freqüentemente na área do desejo, uma falta de poder da psique e uma espécie de inibição generalizada. Por outro lado, seu lugar no nosso mapa pode mostrar onde nos questionamos mais, onde questionamos nossa existência e nossas vidas, nossas crenças e nossas filosofias. Ao mesmo tempo em que nos questiona, Lilith não indica passividade, pelo contrário, mas simboliza um firme propósito de estarmos abertos e confiantes, de deixar o TODO fluir através de nós, confiando inteiramente nas grandes leis que regem o universo e às quais não podemos nos subtrair.


Ely da Costa Varella

Um comentário:

  1. Olá Ely! Já tinha lido alguma coisa sobre Lilith, porém você me acrescentou mais informações.Tenho uma Lilith em conjunção com o MC, daí a minha curiosidade.
    Grata
    Lu

    ResponderExcluir

Fases da Lua

CURRENT MOON

Lua Fora de Curso

A Lua fora de Curso se dá quando ela transita por um signo e não faz mais nenhum aspecto (ângulo de zero, sessenta, noventa, cento e vinte e cento e oitenta graus) enquanto está naquele signo. É como se a Lua estivesse incomunicável. O fato de não fazer aspectos indica que aquele assunto não terá sustentação ou vai ocorrer de forma imprevisível.

Neste momento o bom é dar continuidade ao que já se conhece, que já está implantado. Você não vai perceber o efeito desta Lua em casa ou no trabalho fazendo suas atividades do dia-a-dia.

Sabe aquela meditação que nunca arranjamos tempo para fazer ou exercícios de relaxamento que na verdade nunca desligamos totalmente? E aquela massagem que sabemos que merecemos, mas nos falta tempo para nos permitir? Então, essa é a hora certa se praticar tais atividades introspectivas.

E o que não fazer no período desta Lua? Bem aqui vai uma pequena lista:

-Marcar vôos para viagens longas, se você tiver objetivos em outro país (sobretudo de longo prazo).

-Mudar-se de casa.

-Começar qualquer atividade que pretenda ter efeitos a longo prazo.

-Submeter-se a cirurgias.

-Realizar matrículas em cursos.

-Inaugurar empreendimentos (nada de estréia de peça de teatro, exposição, lançamento de livro, etc.)

-Marcar reuniões inaugurais importantes para este período.

-Ter o primeiro encontro para sair com alguém em quem você esteja interessado.

-Marcar consulta com um médico que você ainda não conhece

Tabela da Lua fora de curso para Outubro de 2016

Signo onde a Lua fora de curso está
Dia e horário de início da LFC
Dia e horário do final da LFC

  • 02h44 até 16h44 do dia 02, em Escorpião
  • 22h05 do dia 04 até 05h27 do dia 05, em Sagitário
  • 03h27 até 17h41 do dia 07, em Capricórnio
  • 13h52 do dia 09 até 03h34 do dia 10, em Aquário
  • 20h05 do dia 11 até 09h44 do dia 12, em Peixes
  • 04h14 até 12h09 do dia 14, em Áries
  • 02h24 até 13h05 do dia 16, em Touro
  • 12h47 do dia 17 até 12h31 do dia 18, em Gêmeos
  • 09h18 até 13h29 do dia 20, em Câncer
  • 17h15 até 17h35 do dia 22, em Leão
  • 10h22 do dia 24 até 01h17 do dia 25, em Virgem
  • 16h34 do dia 26 até 11h52 do dia 27, em Libra
  • 08h11 do dia 29 até 00h02 do dia 30, em Escorpião

Os horários correspondem ao horário de Brasília de 3 horas a menos em relação a Greenwich. Para outras localidades, é necessário somar ou subtrair horas, de acordo com o fuso horário.


"O horóscopo de nascimento só pode ser corretamente interpretado por homens e mulheres de sabedoria intuitiva; e destes há poucos" (Paramahansa Yogananda)

"Ainda que os planetas rejam os destinos terrestres, não deveria ser esquecido que Deus os controla. Entregando-nos a Ele, os efeitos planetários são suavizados e algumas vezes mudados. Quando a graça de Deus desce, os efeitos planetários são muito fracos" (primeiro filósofo da Índia: Satguru Keshavedas)



Os Aspectos

Os aspectos podem ser divididos em duas categorias: harmônicos e fluentes, ou dinâmicos e desafiadores, como bem os definiu Stephen Arroyo. Aqui apenas vou citar os principais:

Na primeira categoria, a dos aspectos harmônicos e fluentes estão algumas:

Conjunções
:

este aspecto tem uma distância de zero graus entre os planetas envolvidos. Sua influência positiva ou negativa, varia de acordo com os planetas envolvidos. É considerado o mais importante na astrologia, pois representa a junção de duas fortes energias.

O sêxtil:
a distância entre os planetas envolvidos é de sessenta graus. Considerado um aspecto fácil, pode nem sempre ser aproveitado pelo indivíduo. Ele é sempre uma saída para aliviar a tensão provocada por aspectos difíceis.

O trígono:
este mantém uma distância de cento e vinte graus entre os planetas envolvidos. É o mais fácil de todos os aspectos. Pode indicar um talento fácil de ser expressado. Porém ele pode provocar excessos que podem ser distorcidos devido à cooperação entre os planetas envolvidos.

Na segunda categoria, de aspectos dinâmicos e desafiadores, além de termos novamente algumas conjunções temos:


A quadratura:
este aspecto assinala noventa graus a distância entre os planetas. Este é o aspecto mais difícil, pois acaba trazendo sempre frustrações. Ele provoca tensão interior; são a duas facetas da personalidade em discórdia dentro do indivíduo.

A oposição:
este apresenta uma distância de cento e oitenta graus. Considerado um aspecto negativo, pois existe aqui a necessidade de se chegar ao meio-termo, de aliviar a tensão. Ele não cria uma grande frustração interior, mas quando conseguimos entender uma oposição podemos transformar esta energia em uma expressão mais positiva. Eu gosto de comparar a oposição a uma gangorra: podemos olhar os dois lados dela e desta forma eliminar o excesso do impulso, controlando as duas faces da personalidade.

Ely da Costa Varella