Facebook

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Júpiter - O Grande Benéfico


Adicionar legenda
Júpiter é o planeta mais importante do sistema solar, capaz até de projetar sombra na Terra. Seu diâmetro é de 142.700km. Sua cor alaranjada com uma grande mancha vermelha ao sul, devido à presença de fósforo vermelho. Ele leva 11 anos e 315 dias para dar a volta completa (revolução) ao redor do Sol.

Na mitologia Júpiter detém o poder temporal. Era o pai Abraão, Brahma e Jeovah. Para os egípcios era Amon, o deus invisível que animava todas as coisas e acompanhava as guerras imperiais: o intrépido e insensato, mas o corajoso. Na Índia era Vishnu, o preservador. Júpiter (Zeus em grego) é filho de Saturno-Cronos. Como este adquirira o mau hábito de devorar seus filhos para impedi-los de destroná-lo, sua esposa Réa, deu-lhe um pedregulho para comer no lugar de Júpiter: o pai não sentiu a diferença. Mais tarde, Júpiter vingou-se; abriu o ventre de Saturno extirpou dele todos os filhos, entre os quais seus irmãos, Netuno e Plutão. Os três irmãos, enfim reunidos, decidiram dividir o mundo entre si. Depois de um sorteio ao acaso, Netuno herdou os oceanos, Plutão, os infernos e Júpiter, tornou-se rei dos deuses do Olimpo (montanha sagrada) regente dos céus.

É representado brandindo o raio que lança sobre os homens ao manifestar seu descontentamento.

Júpiter na Astrologia é o “grande benéfico”, sinônimo de desenvolvimento, legalização, integração, otimismo, sorte, proteção; mas como tudo tem sua sombra, ele também é o responsável pelo exagero, excessos, desperdício e o relaxamento.

A primeira coisa que me vem à mente quando penso nesse planeta, é a necessidade que temos de espiritualidade. O crescimento do conhecimento e do entendimento. Como diz Anna Maria Ribeiro: “Júpiter é um canal esotérico da espiritualidade, é o julgamento e o entendimento disseminado pela experiência e que traz evolução à vida. Ele é uma extensão de Marte, na sua forma entusiástica e progressiva”. Júpiter é o mestre espiritual é a consciência do certo e do errado para o desenvolvimento pessoal. Os aspectos formados com Júpiter indicam como o individuo se encontra em termos espirituais e religiosos: em maus aspectos pode trazer o fanatismo religioso, a obediência cegas a supostos guias espirituais, o temor religioso. Mas ao contrário ele pode ser o anjo da guarda de cada um.

A casa astrológica no Mapa de Nascimento onde se encontra o planeta Júpiter, indica o ponto de expansão. O assunto que o indivíduo lida com maior facilidade, o assunto que gera felicidade. O ponto de sorte. Mas também pode ser o assunto onde se verifica um exagero, certa arrogância, uma falsa superioridade. A casa onde este planeta se encontra mostra onde devemos usar a habilidade para receber benefícios e vantagens.

Júpiter na casa 1
Bem aspectado, Júpiter nesta posição pode trazer sorte em geral. O indivíduo se mostra otimista, generoso, jovial, extrovertido, comportamento caloroso. Força, confiança, fé em si mesmo. Deve ter cuidado para o ganho de peso. As viagens o farão abrir os horizontes. Em mau aspecto, no entanto, Júpiter pode conferir ao nativo certo egoísmo, arrogância. Preocupação exagerada com sua importância. Falta de medida. Hipocrisia.

Júpiter na casa 2
No positivo esta posição traz a sorte com as finanças. Habilidade e facilidade para atrair e gerenciar os recursos. Alegrias que vem através dos bens materiais. O contrário, no caso de aspectos negativos, esta posição pode trazer a dilapidação do patrimônio, a tendência a viver acima daquilo que se ganha. O indivíduo pode se sentir insatisfeito com aquilo que tem.

Júpiter na casa 3
Esta posição bem aspectada traz relações calorosas com o próximo. Viagens enriquecedoras. Facilidade para os estudos. Favorece os escritos, a comunicação. A mente se desenvolve com facilidade. Recebe apoio dos irmãos. Se o planeta está em aspecto tenso, o nativo pode desperdiçar energia. A mente pode tornar-se inquieta.

Júpiter na casa 4
O indivíduo experimenta aqui a alegria que vem do convívio familiar. Normalmente são pessoas que não faltaram nada para o desenvolvimento enquanto dependentes dos pais. O lar será confortável. Aqui haverá patrimônio imobiliário. Temperamento acolhedor. Final de vida na abundância. Se houver aspectos tensos com Júpiter nesta casa, o nativo então enfrentará conflitos e processos relativos aos bens familiares.

Júpiter na casa 5
Bem aspectado, Júpiter trará o gosto pelas festas, alegrias no convívio com os filhos. Criatividade. Simpatia. O lazer proporcionando distrações agradáveis. Namoros que trazem bons parceiros. Favorece os jogos. Em mau aspecto devem-se evitar os jogos.

Júpiter na casa 6
No positivo o trabalho cotidiano será fonte de desenvolvimento; sendo o nativo bem integrado em seu meio profissional. Normalmente a pessoa terá boas oportunidades de trabalho, sendo este lucrativo. Saúde boa. Boa relação com empregadores. No negativo, o exagero e a desordem regem o cotidiano e prejudicam a saúde. Pode ser arrogante.

Júpiter na casa 7
Em bom posicionamento, o casamento e sociedade são geradores de desenvolvimento moral e material. O nativo deve escolher bem a parceria evitando o impulso. Há uma dificuldade em escolher bem. Tendem a legalizar as uniões. No negativo pode haver casamento oportunista. Pode atrair parceiro infiel, hipócrita, desperdiçador.

Júpiter na casa 8
Aqui a sorte é uma herança moral ou material. Se beneficia com profissão relacionada a morte. Os investimentos tendem a ser lucrativo. Forte sexualidade. Mas no caso de maus aspectos, deve-se evitar as aplicações de risco, pois pode haver perdas.

Júpiter na casa 9
Evolução espiritual ou filosófica. Favorece as grandes viagens a relação com estrangeiros. Esta posição confere ao nativo o bom julgamento. Recebe apoio dos cunhados. Em desarmonia, no entanto, esta posição traz o lado colonizador e dogmático.

Júpiter na casa 10
O sucesso deve chegar. Pode chegar sempre a posição de chefia. Aspiração a um poder reconhecido e indiscutível. Proteção na carreira. Se estiver em mau aspecto, a ambição será desmedida. O nativo aqui pode apresentar um lado tirânico.

Júpiter na casa 11
O nativo aqui se relacionará de modo humano e feliz com amigos. Atrai boas amizades. Vida social intensa. Amigos que se adquire através das viagens. Favorece ter condições e confiança para fazer avançar os planos. No negativo deve ter cuidado com as amizades que podem influenciar de forma negativa.

Júpiter na casa 12
Aqui o indivíduo conta com sorte e proteção nos momentos difíceis. Pode trabalhar com instituições, hospitais. Filantropia. Ganha através dos inimigos que podem se tornar amigos. Espiritualidade. Em aspectos tensos poderá haver má sorte, provações materiais, insatisfação. Deve ter cuidado com a pressa e o mau julgamento.

Ely da Costa Varella

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Urano entrando no signo de Áries em 2011


O ano de 2011 traz a entrada definitiva do planeta Urano no signo de Áries. Precisamente no dia 13 de Março, após ele ter ficado sete anos no signo de Peixes.

Urano é o planeta “rebelde” do Zodíaco; tanto é que ele rege a adolescência, fase que somos rebeldes “sem causa”. Fase que falamos o “não” pelo simples prazer de contestar, de transgredir as regras. Ele rege o signo de Aquário.

Urano é isso: revolucionário, aquele que não aceita as regras, ele é o inventor, o cientista, o criador. Este planeta está associado à nossa capacidade em nos adaptarmos às mudanças inesperadas e como usufruímos a nossa liberdade.

Os astrônomos logo o batizaram de “excêntrico” porque ele não se comportava como os outros planetas conhecidos. Ele gira em torno de um eixo quase paralelo à sua elíptica, enquanto que o eixo dos outros planetas é quase perpendicular.

Quando Urano foi descoberto, logo em seguida em 1781 ocorreu a revolução americana e em 1789 a francesa; ambas desafiaram a autoridade estabelecida nos seus países. Gerando o início da Revolução Industrial permitindo a modernização da civilização com novas descobertas na ciência, tecnologia e comunicação. Isso tudo através de Urano, que rege a Era de Aquário.

Para entendermos Urano podemos olhá-lo sob o ponto de vista mitológico: no começo havia o Caos, de onde saiu Gaia, a Mãe-Terra. Gaia deu à luz Urano que, embora fosse seu filho, tornou-se também seu companheiro e amante. Gaia tinha o controle sobre a Terra e Urano governava os céus estrelados. Urano, porém, mesmo que nascido da Terra, não pertencia a ela, pois era associado ao reino aéreo e espacial. Todas as noites Urano - o céu estrelado - deitava sobre Gaia - a Terra - e como resultado dessa união produziram uma grande quantidade de filhos bastante estranhos. Primeiro foram os Titãs, depois os Ciclopes, e ainda outras tantas criaturas igualmente “estranha”. Não contente com os filhos que produzia, achando-os feios, grosseiros e deformados e, portanto não condizentes com seus ideais, Urano os empurrava novamente para ‘dentro do útero’ de Gaia, (os Ciclopes viviam nas cavernas) e os bania para tirá-los de sua vista. Ele não podia aceitar algo que não condizia com seus ideais.

E não é exatamente isso que nós fazemos quando não gostamos de algo em nós? Simplesmente não queremos ver; “tapamos o sol com a peneira” e empurramos tudo que não aceitamos para o subconsciente.

Uma forte influencia uraniana (o signo solar em Aquário; a Vênus em Aquário; a Lua em Aquário; ou aspectos tensos entre Urano e esses planetas) faz com que a pessoa em sua mente crie um relacionamento ideal, uma imagem “visionária” daquilo que seria a união amorosa ou parceria perfeita. Mas como o ideal está bem longe de se concretizar, porque lidar com a realidade de uma vida cotidiana e tudo que ela implica está longe de ser um conto de fadas, estas pessoas se frustram e acabam “abortando” a relação indo em busca de outro ideal.

Infelizmente muitas vezes essas pessoas, fortemente uranianas deixam ao longo de sua vida muitos projetos inacabados, pois nenhum, ao realizar-se, acaba indo de encontro aos seus ideais (muitas vezes utópicos).

O trânsito de Urano pelas casas astrológicas de nosso Mapa de Nascimento traz sempre períodos de questionamento, de inquietações muitas vezes acompanha bruscas e repentinas tentativas de eliminarmos o “modelo” que não aceitamos mais. O cuidado aqui, e o que sempre alerto ao meus clientes, é que as mudanças são sim importantes porque nos levam ao crescimento. Aceitar que tudo tem um começo, meio e fim é entender como as coisas funcionam por “aqui”.

Mas não podemos deixar de lembrar que Urano é também o violento para a Astrologia, tendo alto poder de destruição. Nós não podemos nos deixar arrastar pela impulsividade, a destruição pura de algo, sem ter algum projeto substituto que nos faça um maior sentido. Avaliar sempre o assunto da casa onde Urano transita e promover mudanças sempre visando o nosso crescimento, do contrário, apenas iremos destruir algo, que pode não ter sido bem introspectado, levando a posteriores a uma frustração maior – perda de algo que na real não estávamos prontos para perder.

Sem falar que quando rompemos com algo quase sempre implica em estarmos incomodando os outros, aqueles que querem manter a ordem já estabelecida, se voltando contra nós.

Por exemplo: a relação amorosa rompida que não nos faz mais sentido, atiça a ira do outro que pode se sentir rejeitado e nos lançar no mínimo ao recebimento de pensamentos de fúria.

A entrada de Urano no signo de Áries trará uma etapa para iniciar as coisas de forma diferente, rompendo a tendência que temos de fazer as coisas sempre da mesma maneira. Seremos mais criativos e mais experimentais. Outras fontes de energia serão usadas. Poderemos passar por mudanças que irão desde a transformação espiritual até mudanças evolutivas sociais globais, porque Urano em Áries irá provocar mais inconformismo em relação as nossas lideranças, podendo então surgir novas formas de comando na política mundial. Pode haver mais greves, rebelião desafiando o modelo vigente.

Haverá uma mudança de mentalidade em relação ao individualismo para promover o crescimento pessoal. O sistema da globalização pode sofrer abalo, pois enquanto forças atraiam a individualização, existem forças querendo a mudança dos hábitos individualistas.

Urano nas Casas no Mapa de Nascimento

Urano na casa 1
Comportamento independente, que busca encontrar um modo de expressão original, até mesmo único. Teimosia. Excentricidade. A pessoa aqui pode ser genial ou maluca.

Urano na casa 2
Perturbações financeiras, investimentos aventurosos, imprudência material. O indivíduo pode ganhar com tecnologia, criatividade, ciências alternativas, eletricidade. Tem grande capacidade em ser inventivo nos negócios ou para ganhar dinheiro.

Urano na casa 3
O individuo busca diferenciar-se de seu ambiente e mostra-se dotado para os estudos técnicos ou modernos. Risco de acidentes. Mente progressista ou rebelde. Pode haver dificuldades na relação com irmãos ou no seu meio ambiente. Forte desejo de viajar. Estar em movimento.

Urano na casa 4
Pode haver o desejo de desligar-se do círculo familiar querendo independência. Instabilidade no lar, rupturas familiares, numerosas mudanças. Decoração da casa moderna e original. São pessoas que não se apegam ao lar.

Urano na casa 5
Criatividade artística desfazendo a marca das tradições. Vida amorosa independente e instável. Pessoas que não querem se responsabilizar pelos filhos ou por situações românticas. Para a mulheres esta posição pode trazer gravidez inesperada ou problemática. Os filhos aqui podem ser originais ou complicados.

Urano na casa 6
Aqui pode haver uma certa aversão pela rotina no trabalho. Muitas mudanças de emprego. Indisciplina ou instabilidade no trabalho. Doenças súbitas.

Urano na casa 7
As uniões ou associações aqui poderão ser livres, sem o comprometimento legal. Atrai ligações com pessoas uranianas. Pode haver uma incapacidade de suportar uma vida a dois. São pessoas que podem começar a acabar relação de repente, ou terem vários relacionamentos. Não podem se sentir presos nas relações.

Urano na casa 8
Pode haver rupturas brutais com o ambiente. Flutuação financeira. Perda em investimentos. Perda ou conflitos em heranças. Problemas financeiros com associações. As pessoas aqui precisam eliminar discórdias para não acabar em violência. Morte súbita.

Urano na casa 9
Idéias originais ou reformadoras. As viagens com cunho de aventuras. Quanto mais aprendem mais essas pessoas se sentem livres. Visão religiosa não ortodoxa. Risco de acidente quando em viagens ou nos meios de transporte.

Urano na casa 10
A pessoa ou irá agir de modo audacioso e original em sua vida profissional, ou ao contrário, terá seu destino marcado por perturbações, incapacidade de controlar os acontecimentos. Não querem ter patrão.

Urano na casa 11
Amigos originais, amizades vividas sob o signo da liberdade recíproca. Mudanças de objetivos e planos. São pessoas futuristas e progressistas.

Urano na casa 12
Provocações imprevistas, que acontecem de modo súbito. Risco de acidentes ou de operações cirúrgicas. Pode haver desapego pelo cotidiano, eventual marginalidade. Pode ser inimigo de si mesmo se perde o controle.

Ely da Costa Varella

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Entendendo a Obesidade


-->
Esse assunto está sempre a nossa volta. A rondar principalmente a preocupação feminina. Manter a forma. Seguir aos apelos de uma mídia que a todo instante quer nos escravizar em padrões estéticos: magra, alta, loira, que nem ao menos corresponde ao padrão da mulher brasileira.

Atualmente o excesso de peso tem assombrado a todos, visto o número crescente de crianças e jovens obesos que ingerem doses maciças de hambúrgueres, salgadinhos, fritura, guloseimas de todas as espécies. Hoje a obesidade já está sendo considerada como uma epidemia mundial.

Pesquisando o tema na internet me deparei lendo um artigo muito interessante. Fica o link para os interessados em lê-lo na íntegra (http://www.psicoloucos.com/Transtornos-Alimentares/visao-psicologica-sobre-a-obesidade.html), enquanto eu aqui transcrevo uma fração do mesmo: “o `comer' do obeso `confunde-se' com fome, ansiedade, depressão. Afinal, que comer é esse? O comer do obeso é da necessidade ou pulsional? Pode-se pensar que, pela própria forma corporal, não se trata de necessidade; afinal, qual a utilidade de tanta gordura?
"Existe, na barriga, alguma coisa - a própria gordura? - digamos, um excedente de corpo - que impede, luta contra esse excedente de pensamento que consistiria, por exemplo, em interrogar-se sobre a razão do modo do caminhar... Questionar-se a respeito de si mesmo, sem dúvida, seria a morte do gordo" (Coupry, 1990, p. 21).

O obeso encontra, no corpo, uma forma de expressar aquilo que não pode ou não consegue expressar pela via da fantasia, do sonho ou da linguagem. O obeso sente, mas, não conseguindo significar a sensação como linguagem falada, ele significa no corpo.

"Podemos imaginar, em nossos lugares-comuns culturais, um pensador gordo? Quero dizer, alguém que pratique a abstração do pensamento... Há forçosamente esquecimento do corpo no desenvolvimento extremo da reflexão: o silêncio do ventre" (Coupry, 1990 p. 20).”
Mas não é só pela estética que devemos nos cuidar. A obesidade traz uma série de complicações. Dificulta a mobilidade do corpo. Sobrecarrega órgãos que podem ficar comprometidos gerando assim a manifestação de alguma doença.

Então a proposta aqui não é oferecer um leque de regimes, ou conselhos da vovó para manter a forma. Venho apenas levar resumidamente aos meus queridos leitores, um olhar sobre o ponto de vista metafísico sobre o assunto. Lembrando que o plano esotérico nos ensina que a saúde para existir significa estar em equilíbrio em muitos níveis. A constituição do homem abrange várias camadas de energia que não podem ser percebidas pelo microscópio bem como a olho nu. Mas de qualquer modo saúde significa manter todas essas camadas vibrantes em equilíbrio. Sendo assim a doença ou debilidade física são apenas manifestações ou reflexos de que uma parte do sistema global não está respondendo. Está fora do lugar.

Muitas vezes, é através da doença que o individuo toma consciência de sua vida espiritual ou da importância de se crescer psicologicamente. Uma complicação física faz muitas vezes com que o indivíduo olhe a vida com outros olhos.

Segundo Jeanne Avery, astróloga que fundamentou seus estudos na área da saúde, afirma que “quando o homem individual identifica-se apenas com seus erros, alimentando a culpa e perdendo de vista o seu próprio valor, faz um mal irreparável à sua energia física e ao desenvolvimento de sua alma”.

Valcapelli e Gasparetto em sua obra Metafísica da Saúde vol. 3 nos fala “o aumento de peso está relacionado com a fragilidade interior, que se compara a uma imaturidade emocional. A pessoa sente-se despreparada para lidar com algumas situações, geralmente na relação familiar ou afetiva, mas pode ser também de ordem profissional ou social”.

Como ela se sente impotente para resolver suas questões ela usa de subterfúgios para amenizar suas frustrações. E a alimentação é um dos recursos mais freqüentes como compensação. O indivíduo precisa estar mastigando algo o tempo todo para aliviar a tensão. “Também o prazer do alimento compensa o desconforto da realidade, preenchendo o vazio interior. A comida passa a ser uma obsessão difícil de ser controlada”.

Nós encontramos dois tipos fisiológicos que acumulam gordura excessiva. As pessoas do tipo “maçã” ou as “peras”. As do tipo maçã são as que concentram a gordura no abdome (barriga). As do tipo pêra são aquelas cuja gordura, estão localizadas nos quadris e coxas.

No universo metafísico, “a gordura que se encontra na barriga ocorre em pessoas que apresentam dificuldades para manifestar suas vontades, bem como realizar os mais caros desejos. São resignadas quanto à expressão dos próprios conteúdos. Não se sentem no direito de saciar seus ímpetos”.

No caso da gordura localizada na parte inferior do corpo “a pessoa deixou de ser audaciosa, contendo a força expressiva. Sempre se lançou corajosamente na conquista de um futuro promissor, porém deixou manifestar essas qualidades após certos obstáculos traumáticos que abalaram a confiança em si mesma. A pessoa perdeu as referências próprias, passando a buscar apoio nos outros. Ela tanto pode tornar-se dominadora, querendo controlar a vida dos entes queridos, quanto a viver em torno daqueles que estão em volta, fazendo o possível para agradá-los. Exagera nas dedicações, tornando-se extremamente prestativa para com a necessidade alheia, esquecendo-se de si próprias”.
Na Astrologia o signo de Câncer é o responsável pelo estomago. Sendo este signo regido pela Lua que naturalmente cuida da digestão e assimilação dos alimentos. É da Lua também a responsabilidade pelo fluxo de líquidos no corpo.

Psicologicamente falando, a Lua indica reações emocionais, tanto as “positivas” quanto as “negativas”.

Indiretamente a Lua está relacionada com o sistema endócrino, principalmente ao hipotálamo. Este sendo a glândula central das emoções; enquanto a tiróide, outra glândula do sistema endócrino, é responsável pelo metabolismo adequado e a assimilação dos alimentos.  Evidencia-se aqui que o excesso de comida está intimamente relacionado com a tensão emocional. Se o indivíduo conseguir estimular o sistema endócrino, será possível evitar uma reação exagerada ou compulsões emocionais relacionadas com a comida.

Quando o signo de Câncer está ocupando o Ascendente em um Mapa de Nascimento, pode sugerir um processo de nascimento tenso, ou um trauma precoce, pode situar-se no plexo solar ou no estômago.

Este indivíduo pode ter ficado fisicamente privado de um dos pais ou então ter sido abandonada no momento de seu nascimento. Pode ainda haver uma questão com a mãe ou com o alimento, levando ele a desenvolver uma sensibilidade e uma capacidade emocional que pode ser muito dolorosa de suportar. A sensação de fome e a tendência geral a sentir reações no plexo solar podem levar a pessoa não só a comer demais, como também comer rápido demais. O excesso de alimento potencializa a tensão já criada naquela área do corpo, tendo como resultado o aumento do peso.

Uma pessoa com o signo de Câncer no Ascendente, ganha peso também por causa da retenção de água, mas pode ainda ser alérgico a alguns alimentos que fazem os tecidos do corpo inchar. Os medos aqui presentes são: o do abandono e fome.

Outro signo associado a forma física mais arredonda é o Touro. A natureza dessas pessoas é muito sensual. Afeto e prazer são fundamentais para a saúde e o bem estar dessas pessoas cujo Ascendente for o signo de Touro. A falta do prazer do amor, podem predispô-lo a encontrar substitutos prejudiciais à saúde. Como o planeta regente deste signo é Vênus, o fígado, e os rins podem ser afetados. Este signo aprecia a boa mesa. É no tato que esse signo se reconhece, então pessoas de paladar apurado, não fogem da boa mesa. Aliado à tendência a inércia especialmente quando são chamados a agir fora de seus desejos pessoais. O ganho  de peso é fatal.

Outro signo regido pela Vênus é Libra. As pessoas librianas de ascendente, tem o pâncreas e o baço como partes que podem ser afetadas. Quando as condições externas não estão exatamente agradáveis, ou quando se manifestam tensões, este indivíduo pode deixar-se dominar pelo seu gosto acentuado por doces, fazendo o pâncreas trabalhar demais e perturbando o equilíbrio essencial à saúde. Aqui haverá cansaço e pouca energia, estimulando mais a vontade de consumir açúcar e carboidratos para produzir uma rápida entrada de energia. O traço de personalidade aqui mais evidente é a necessidade extrema em ser agradável: o equivalente emocional do gosto por doces.

Quando uma pessoa apresenta um forte acúmulo do elemento água em seu Mapa de Nascimento, pode apresentar uma acentuada tendência em reter liquido, mantendo um excesso de água em seu tecido celular, e ganhar peso. A associação do reter líquido com o aspecto psicológico, está na tendência emocional de colecionar e conservar. Esse conservar pode relacionar-se com pessoas e coisas. O indivíduo aqui pode descobrir que tirando de sua vida coisas e pessoas que já não representam mais um motivo para fazer parte de sua vida, irá ajudá-lo a recuperar um melhor funcionamento dos órgãos de eliminação.

O emocional é sempre o ponto chave para manter a “forma”. Estar aberto a viver “nossos queres” aliado a uma boa alimentação e exercícios físicos torna-se óbvio e chavão quando o assunto é perda de peso. Ser feliz é estar em sintonia consigo mesmo. Porque fora de nós não existe nada.

Ely da Costa Varella

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Os Signos e a Política

-->
Em ano de eleição podemos olhar os signos enquanto “talento” político. Um bom político se faz através de várias características, e se pudéssemos conhecer o Mapa Astral de todos os candidatos, com certeza escolheríamos melhor nossos representantes.

O Sol e o Júpiter forte no Mapa de Nascimento e bem aspectado com o planeta Marte, confere ao candidato um ardor combativo.

A paciência e a obstinação são características de aspectos positivos de Saturno com o Sol e o Júpiter.

As Casas VII, X e XI precisam estar harmoniosamente ocupadas como por exemplo: o Sol em conjunção com o Meio do Céu (casa X) que confere êxito social. Júpiter em conjunção com o Ascendente (casa I) que imprime no indivíduo uma personalidade forte, uma autoridade natural.

A Lua é responsável pela popularidade. Para o político o bom é tê-la em conjunto com o Sol, o que traz a capacidade de se adaptar e de incorporar a realidade aos seus projetos pessoais.

Mas também podemos olhar cada signo e observar a tendência ou sensibilidade política de cada um:

Áries
O respeito ao chefe; a hierarquia no sentido quase militar do termo.

Touro
Enaltece os valores terrenos, presa a tradição. É conservador. Apóia o capitalismo. Sua ideologia: “trabalho, família, pátria” como Marechal Pétain (chefe de Estado Francês do regime de Vichy de 1940 a 1944) e Hitler.

Gêmeos
Este é o signo menos politizado do zodíaco. Este signo aprecia a mudança qualquer que seja a ideologia ou os partidos envolvidos.

Câncer
Valoriza a família. Signo de ajuda mútua e de proteção. São os sindicalistas do zodíaco.

Leão
Como não poderia deixar de ser, é o signo do triunfo do centralismo, do absolutismo e do monarquismo.

Virgem
Este signo aspira a uma organização social, ao mesmo tempo equitativa é perfeitamente estruturada. Socialismo jacobino (Foi um grupo radical na Revolução Francesa. Eram camponeses pobres, porém com pensamentos radicais, que queriam o extermínio dos nobres, uma vez que a nobreza oprimia os mais desvalidos).

Libra
Sua necessidade de equilíbrio o leva a posições moderadas. Pacifista, não violento, busca o diálogo. Valoriza o respeito pelos indivíduos e luta pelos direitos das minorias. Aqui temos como exemplo: Gandhi, Lanza Del Vasto (fundador da Comunidade da Arca; escritor, filósofo, artista, escultor – viveu com Gandhi na Índia)

Escorpião
Por ser extremamente individualista este signo se traduz politicamente, por um estado permanente de rebelião; contestação, anarquismo. É um reformador.

Sagitário
Este se impõe ou sendo subversivo ou conformista. De qualquer modo afirma-se como hipertradicionalista monarquista, autoritário ou como um utopista revolucionário, fundador de sistemas admiráveis e impraticáveis.

Capricórnio
Pragmático. Foca na eficácia, todavia com um certo rigor republicano e puritano. Este signo é um eterno partidário da ordem social e moral.

Aquário
Ideologia liberal com dupla religião, a dos direitos do homem e a do progresso científico libertador.

Peixes
Militante de todos os ideais comunitários: do comunismo igualitário ao movimento ecologista. De Peixes foram os grandes apóstolos da corrente hippie.

Ely da Costa Varella
(Dicionário Prático de Astrologia – Catherine Aubier)
(imagem: http://www.sabado.pt/Multimedia/ILUSTRACOES/Politica/RR---tiques-politicos.aspx)

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Psicanálise e a Astrologia

-->
Tanto a Astrologia quanto a Psicanálise buscam uma visão global do fenômeno humano. Elas interpretam as dissonâncias e as correspondências mais do que elaborar um catálogo psicológico.

Segundo André Barbault (De La Psychanlyse à L’Astrologie, Seuil): “A Astrologia deve ocupar-se com os fenômenos primários do inconsciente, com os processos psíquicos elementares que se traduzem em fatos análogos; com efeito, neste nível de elaboração psicológica, a vida se constrói e se realiza sobre o modelo analógico. Procedendo como a psicanálise, que recorre à associação de idéias, a Astrologia limita-se a retomar e incorporar o procedimento desses fatos analógicos da vida humana, para decifrá-los tão fielmente quanto possível,  a fim de estar à altura de sua missão”

Para a Psicanálise a Astrologia é bastante útil, porque permite ao psicanalista e o seu consulente através do Tema de Nascimento, focar em um problema específico, que sem esse instrumento poderia permanecer escondido por muito tempo.

Freud dividia a realidade individual em três superposições: o id, responsável pelo inconsciente; o ego, nosso consciente e por fim o superego, instância da censura, resultante da identificação da criança com seus pais ou educadores, criando uma imagem ideal, rígida e coercitiva, da qual o ego sofre a permanente oposição. Resulta daí violentos conflitos com o id e as pulsões instintivas.

Na Astrologia temos os pontos cardeais que norteiam esta estrutura Freudiana. O id, o mais íntimo do ser e também a faixa mais obscura está relacionado com o Fundo do Céu; o superego, que seria um projeto de sublimação e de transcendência, está relacionado ao Meio do Céu; o horizonte Ascendente/Descendente (comportamento, relação com os outros), que representa bem o ego freudiano, em toda a sua complexidade.

Na estrutura planetária vemos o id ligado à Lua (universo infantil, imaginário, incontrolado). Já o ego sendo a consciência, se relaciona com o Sol. O superego que é ao mesmo tempo elemento de ordem, autoridade, hierarquia, censura e inibição, pode ligar-se à dupla influência complementar dos planetas Júpiter e Saturno.

Na infância, Freud levanta três fases: a oral, a anal e a genital, que representa a maturidade, o cumprimento de um desenvolvimento realizado. Então vemos identificadas pela Astrologia a fase oral e anal sendo representadas pelo eixo Touro/Escorpião (Touro sendo a boca, garganta, absorção e Escorpião sendo o sexo, ânus, excreção, eliminação). Esse eixo é essencial: liga-se à dupla pulsão de apropriação e rejeição, de onde procede  uma dupla tendência criativa/destrutiva, que se aplica ao mesmo tempo ao mundo e à própria pessoa.

Essas considerações trabalham os conceitos de Eros e Tanatos – instinto de vida e de criação, instinto de morte e de destruição. Eros sendo a libido, o amor no sentido amplo e sintético – energia que emana da sexualidade, associando ternura e sensualidade, prazer e genitalidade. Tanatos seria então uma reação de recusa do ego formado que exclui tudo o que pode contrariá-lo ou colocá-lo em perigo, opondo-se em seguida à sua própria metamorfose, o que leva paradoxalmente a uma situação congelada, sinônimo de autodestruição e morte.

Na Astrologia, Eros tem analogia com Vênus de Touro, planeta do prazer, do desejo de fusão e de efusão, da abertura, da receptividade, da sedução. Tanatos se corresponde de modo mais sutil, Marte regente de Áries como sinônimo da virilidade conquistadora e de poder belicoso. Seus atributos derivam antes, do instinto de vida – a busca do espaço vital. Mas Marte está ligado igualmente a Escorpião (segundo regente). Esse Escorpião marciano e plutônico desenvolve uma autodefesa e uma agressividade que resultam às vezes em um auto bloqueio mortal. Vê-se aqui o trabalho de forças de destruição e de autodestruição indispensável a toda renovação.

Aliar a Psicanálise e a Astrologia para o bem do indivíduo que busca o autoconhecimento e a libertação de traumas que se vê enredado, é de grande valia a evolução do ser humano.

Ely Varella
(texto baseado em Catherine Aubier, Dicionário Prático de Astrologia)
(imagem: hamameli-terapiasnaturais.blogspot.com)

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Distribuição dos Planetas no Círculo Zodiacal

-->
Quando traçamos um gráfico astrológico, a própria localização dos planetas no círculo, já nos irá dizer algo sobre o indivíduo. Verificamos com isso se determinada zona do mapa se sobrepõe a outras zonas.

Um forte acúmulo de planetas acima da linha do horizonte, o chamado Hemisfério Objetivo, indica uma pessoa que tem necessidade de se exteriorizar. Busca a realização pública. A vida exterior a ela é mais rica do que a interior, sendo difícil aqui a prática da meditação. Essas são as pessoas que dão muita importância a “aparência”. Não gostam da solidão, precisam estar sempre em contato com os outros, mesmo que de modo superficial. A opinião alheia influi em suas conclusões.

Se, ao contrário, um acúmulo de planetas estiver localizado abaixo da linha do horizonte, no chamado Hemisfério Subjetivo, imprime nas pessoas uma vida interior rica e privada. Elas buscam evitar uma vida pública. As raízes, o passado, a intimidade são seus alicerces. Não se deixam influenciar pela opinião alheia, a menos que venha de seus familiares. Meditam sobre tudo antes de expor a sua opinião. Difícil atuar de cara, ser espontânea. Esta característica facilita todo o processo de fuga, devem ter cuidado.

No Hemisfério Ativo, encontramos a maioria dos planetas no lado esquerdo do meridiano. Aqui as pessoas estão preocupadas consigo mesmas. São as independentes. Confiam em seu “taco”. Tem a sensação que controlam a própria vida. Sabem que a vida não lhe dará nada de graça, por isso vão à luta. Difícil é confiar nos outros. Podem ainda experimentar uma sensação de “distância” do ambiente em que vive e de incompreensão. São as introvertidas. Mas se os planetas estiverem bem próximos dos graus do Ascendente então, serão as pessoas realmente egocêntricas.

E por último temos o Hemisfério Passivo, onde os planetas estão localizados no poente do gráfico astrológico. Estas são as pessoas que dão grande importância aos outros. A afirmação vem do contato com o outro. Desejam exercer um poder sobre as outras pessoas. Através do outro buscam o equilíbrio, por isso aqui encontramos uma certa forma de dependência: a atitude do outro tem fatalmente uma repercussão nesta pessoa. Seu forte é a sociabilidade. São extrovertidos com facilidade para se comunicarem. São os indivíduos comodistas, mais fatalistas, que ficam atentas às oportunidades que possam surgir em seu caminho.

Quando os planetas estão distribuídos no gráfico de forma mais espalhada, ocupando várias casas astrológicas, as chances da pessoa são maiores e ela é capaz de demonstrar maior equilíbrio. Por outro lado será mais difícil para esta pessoa fazer escolhas, orientar-se, levando em conta, justamente seu grande número de possibilidades.

Mas sempre será preferível em um Mapa Astral onde os planetas estiverem distribuídos de modo relativamente regular, porque todo stellium (acúmulo de planetas em uma mesma casa) pesa sobre a zona do gráfico em que se encontra. E isso provoca um desequilíbrio, exatamente como uma balança da qual só um dos pratos está cheio.
Ely da Costa Varella 
(gráfico tirado do livro Dicionário prático de Astrologia de Catherine Aubier)

terça-feira, 11 de maio de 2010

Nódulo Lunar

-->
Utilizar ou não os Nódulos Lunares nas interpretações do Mapa Astral é um assunto discutido entre os estudiosos de Astrologia. Pois na verdade trata-se de pontos fictícios, podendo levar à ideia de que no vazio não se pode encontrar nada.

Os Nódulos surgem quando a órbita da Lua atravessa à eclíptica (o plano da órbita da Terra no seu caminho em volta do Sol) e estão em uma distância de 180 graus entre si, formando assim um aspecto de oposição um do outro. Uma relação de eixo.

Eles são dois:
O Nódulo Norte ou Nodo Ascendente, chamado de a Cabeça do Dragão. Esse nome foi dado porque quando o Sol está perto dos Nódulos acontecem as eclipses e para a mitologia nestes Nódulos mora um dragão que engole o Sol ou a Lua. A Cabeça do Dragão analogia com o planeta Saturno e está associada aos obstáculos a serem superados, às dificuldades que precisaremos vencer para evoluir.
O Nódulo Sul ou Nodo Descendente, chamado de a Cauda do Dragão (mitologicamente). Este tem analogia com o planeta Júpiter, encontra-se a indicação do que fomos no passado.

O movimento dos Nódulos é retrógrado e percorre aproximadamente 2 graus por mês. O ciclo deles tem a duração de 18 anos e meio para percorrer o Zodíaco. Ele permanece num mesmo signo em torno de 1 ano e meio. Mas, em função do movimento de rotação da Terra, todos os dias ele passará por todas as Casas.

Para os hindus, ambos os Nódulos tem teor maléfico. Os americanos se dedicaram à interpretação do eixo nodal para a saúde. Os europeus atribuem a eles, uma influência essencialmente psíquica, até mesmo carmica.

Sendo assim, o Nódulo Sul representa de certa forma, uma porta aberta, um lugar onde as coisas ocorrem de modo mais fácil enquanto o Nódulo Norte corresponde a uma porta fechada, ponto de dificuldade que será necessário ultrapassar para atingir a evolução.

Segundo Catherine Aubier: “podemos colocar o Nodo sul em analogia com a herança do passado, como um portador das hereditariedades pessoais do indivíduo, tanto no plano psicossocial como no plano espiritual; do mesmo modo, o Nodo norte pode estar em analogia com o projeto dominante da existência presente, com sua origem no conjunto de desejos insatisfeitos nas vidas precedentes”.

Sob o ponto de vista carmico, teremos no Nodo sul a indicação do que fomos em uma encarnação precedente enquanto no Nodo norte encontra-se o caminho a ser percorrido, o esforço, a tarefa a cumprir para tirar proveito de nossas experiências, ou de nossos erros, passados e cumprir nosso carma. Através da posição pelas casas do Zodíaco, que o eixo nodal fornece as direções gerais desta interpretação.

Nodo sul na casa 1 e Nodo norte na casa 7
Em uma encarnação passada este indivíduo preocupou-se apenas consigo mesmo vivendo bastante interiorizada, podendo até mesmo ser tida como egoísta. Por isso deve neste vida presente, ser uma pessoas mais pública, voltar-se mais para os outros, dedicar-se mais as outras pessoas.

Nodo sul na casa 7 e Nodo norte na casa 1
Em outra vida este indivíduo deixou-se guiar pelos outros, ou apenas dava importância a opinião alheia. Agora neste presente, deve assumir sua independência, sua autonomia, conhecer a si mesmo deixando de apoiar-se no universo exterior.

Nodo sul na casa 2 e Nodo norte na casa 8
Em uma encarnação anterior o indivíduo preocupou-se apenas com os bens terrenos. Viveu apegado as suas posses, em ter. Agora terá de aceitar a insegurança, a instabilidade financeira. Aprender a viver com aquilo que é necessário para viver.

Nodo sul na casa 8 e Nodo norte na casa 2
Viveu em uma vida anterior à margem do real. Nesta vida deve frutificar suas aquisições e integrar as experiências adquiridas. Isto também vale para o plano sexual.

Nodo sul na casa 3 e Nodo norte na casa 9
A outra vida foi dedicada a adquirir grandes conhecimentos práticos. Agora é preciso que o indivíduo desenvolva o interesse por assuntos mais elevados, ensinar o que sabe, ou então afastar-se do seu ambiente.

Nodo sul na casa 9 e Nodo norte na casa 3
A encarnação passada dedicada a um saber mais elevado. Agora então é necessário que utilize todo seu conhecimento para prestar serviço aos outros pondo em prática tudo que aprendeu e fazendo com que o outro aproveite de seu saber.

Nodo sul na casa 4 e Nodo norte na casa 10
Em uma vida passada este indivíduo ficou muito ligado em suas origens, em seu lar. Por isso agora pede-se que se realize no mundo exterior.

Nodo sul na casa 10 e Nodo norte na casa 4
A encarnação anterior foi dedicada a vida pública deixando de lado o interesse pela vida familiar. Agora esta pessoa deverá construir uma família e dedicar-se a ela. Protegendo-a. A menos que a importância exagerada que deu à sua vida social lhe dê o desejo compensatório de apoiar-se mais nos valores íntimos e familiares.

 Nodo sul na casa 5 e Nodo norte na casa 11
A pessoa aqui viveu uma encarnação amorosa e egoísta, individualista, preocupada com prazeres imediatos. Agora será preciso dedicar seu afeto aos outros. Orientar-se para o coletivo.

Nodo sul na casa 11 e Nodo norte na casa 5
Em outra vida o indivíduo se dedicou mais as amizades, nos apoios que recebia dos outros. Agora deve criar para si mesma. Deve também se ocupar muito com seus filhos e com sua evolução.

Nodo sul na casa 6 e Nodo norte na casa 12
Após uma encarnação voltada aos pequenos problemas do cotidiano e ao trabalho, esta pessoa agora irá poder atingir uma dimensão superior através de um trabalho ainda maior, como por exemplo, se consagrando ao sofrimento alheio. Outra hipótese é ter uma vida mais recolhida, mais solitária.

Nodo sul na casa 12 e Nodo norte na casa 6
Em uma vida passada esta pessoa viveu isoladamente. Sofreu privação de liberdade mas conseguiu tirar uma certa sabedoria desta experiência. Agora se vê solicitada a utilizar sua experiência carmica para facilitar o cotidiano dos outros através do ato de servir. Aqui encontramos os médicos por exemplo.

Ely da Costa Varella

Fases da Lua

CURRENT MOON

Lua Fora de Curso

A Lua fora de Curso se dá quando ela transita por um signo e não faz mais nenhum aspecto (ângulo de zero, sessenta, noventa, cento e vinte e cento e oitenta graus) enquanto está naquele signo. É como se a Lua estivesse incomunicável. O fato de não fazer aspectos indica que aquele assunto não terá sustentação ou vai ocorrer de forma imprevisível.

Neste momento o bom é dar continuidade ao que já se conhece, que já está implantado. Você não vai perceber o efeito desta Lua em casa ou no trabalho fazendo suas atividades do dia-a-dia.

Sabe aquela meditação que nunca arranjamos tempo para fazer ou exercícios de relaxamento que na verdade nunca desligamos totalmente? E aquela massagem que sabemos que merecemos, mas nos falta tempo para nos permitir? Então, essa é a hora certa se praticar tais atividades introspectivas.

E o que não fazer no período desta Lua? Bem aqui vai uma pequena lista:

-Marcar vôos para viagens longas, se você tiver objetivos em outro país (sobretudo de longo prazo).

-Mudar-se de casa.

-Começar qualquer atividade que pretenda ter efeitos a longo prazo.

-Submeter-se a cirurgias.

-Realizar matrículas em cursos.

-Inaugurar empreendimentos (nada de estréia de peça de teatro, exposição, lançamento de livro, etc.)

-Marcar reuniões inaugurais importantes para este período.

-Ter o primeiro encontro para sair com alguém em quem você esteja interessado.

-Marcar consulta com um médico que você ainda não conhece

Tabela da Lua fora de curso para Outubro de 2016

Signo onde a Lua fora de curso está
Dia e horário de início da LFC
Dia e horário do final da LFC

  • 02h44 até 16h44 do dia 02, em Escorpião
  • 22h05 do dia 04 até 05h27 do dia 05, em Sagitário
  • 03h27 até 17h41 do dia 07, em Capricórnio
  • 13h52 do dia 09 até 03h34 do dia 10, em Aquário
  • 20h05 do dia 11 até 09h44 do dia 12, em Peixes
  • 04h14 até 12h09 do dia 14, em Áries
  • 02h24 até 13h05 do dia 16, em Touro
  • 12h47 do dia 17 até 12h31 do dia 18, em Gêmeos
  • 09h18 até 13h29 do dia 20, em Câncer
  • 17h15 até 17h35 do dia 22, em Leão
  • 10h22 do dia 24 até 01h17 do dia 25, em Virgem
  • 16h34 do dia 26 até 11h52 do dia 27, em Libra
  • 08h11 do dia 29 até 00h02 do dia 30, em Escorpião

Os horários correspondem ao horário de Brasília de 3 horas a menos em relação a Greenwich. Para outras localidades, é necessário somar ou subtrair horas, de acordo com o fuso horário.


"O horóscopo de nascimento só pode ser corretamente interpretado por homens e mulheres de sabedoria intuitiva; e destes há poucos" (Paramahansa Yogananda)

"Ainda que os planetas rejam os destinos terrestres, não deveria ser esquecido que Deus os controla. Entregando-nos a Ele, os efeitos planetários são suavizados e algumas vezes mudados. Quando a graça de Deus desce, os efeitos planetários são muito fracos" (primeiro filósofo da Índia: Satguru Keshavedas)



Os Aspectos

Os aspectos podem ser divididos em duas categorias: harmônicos e fluentes, ou dinâmicos e desafiadores, como bem os definiu Stephen Arroyo. Aqui apenas vou citar os principais:

Na primeira categoria, a dos aspectos harmônicos e fluentes estão algumas:

Conjunções
:

este aspecto tem uma distância de zero graus entre os planetas envolvidos. Sua influência positiva ou negativa, varia de acordo com os planetas envolvidos. É considerado o mais importante na astrologia, pois representa a junção de duas fortes energias.

O sêxtil:
a distância entre os planetas envolvidos é de sessenta graus. Considerado um aspecto fácil, pode nem sempre ser aproveitado pelo indivíduo. Ele é sempre uma saída para aliviar a tensão provocada por aspectos difíceis.

O trígono:
este mantém uma distância de cento e vinte graus entre os planetas envolvidos. É o mais fácil de todos os aspectos. Pode indicar um talento fácil de ser expressado. Porém ele pode provocar excessos que podem ser distorcidos devido à cooperação entre os planetas envolvidos.

Na segunda categoria, de aspectos dinâmicos e desafiadores, além de termos novamente algumas conjunções temos:


A quadratura:
este aspecto assinala noventa graus a distância entre os planetas. Este é o aspecto mais difícil, pois acaba trazendo sempre frustrações. Ele provoca tensão interior; são a duas facetas da personalidade em discórdia dentro do indivíduo.

A oposição:
este apresenta uma distância de cento e oitenta graus. Considerado um aspecto negativo, pois existe aqui a necessidade de se chegar ao meio-termo, de aliviar a tensão. Ele não cria uma grande frustração interior, mas quando conseguimos entender uma oposição podemos transformar esta energia em uma expressão mais positiva. Eu gosto de comparar a oposição a uma gangorra: podemos olhar os dois lados dela e desta forma eliminar o excesso do impulso, controlando as duas faces da personalidade.

Ely da Costa Varella