Facebook

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Os Significados dos Planetas na Astrologia

Oito são os planetas que compõe a avaliação do mapa astrológico. O Sol e a Lua são chamados de Luminárias. O nosso ego, a nossa individualidade, vem muito bem desenhado através do Sol, Lua, Mercúrio, Vênus, Marte, Ascendente e o Meio do céu.

O Sol representa o que de fato somos, é a vontade de expressar o nosso eu, de deixar a nossa marca nesse mundo. Esta luminária também representa a nossa fonte de energia, influenciando assim a nossa saúde. Sem o Sol nada existiria, por isso ser denominado de energia Yang - a luz do dia.

Em um sentido esotérico, o Sol representa o Poder, pois ele é a verdadeira manifestação do Logos. Sua posição, signo e aspectos no gráfico astrológico indicam as áreas onde necessitamos nos sentir úteis - onde será importante nos valorizarmos como pessoa. Bem aspectado em um horóscopo, simboliza recompensas, uma força positiva para vida atual. Já, quando este está mal aspectado, gera limitações, frustrações.

O Sol está relacionado ao impulso masculino, está associado ao pai e o que este representou em nossa vida para o impulso de nossa auto-expressão.

A Lua, essencialmente feminina, representa as nossas necessidades emocionais. Ela também está associada à memória, ao passado, à raça e à nação. O signo em que está posicionada aponta como reagimos instintivamente. Sua localização e aspectos indicam as atividades que nos permitem suprir nossas carências em busca de segurança, proteção contra os sofrimentos. Quando ela está mal aspectada, em um gráfico astrológico, indica o karma doméstico ou feminino. A Lua mostra a nossa necessidade de nutrir e sermos nutridos emocionalmente. Também representa o relacionamento com a mãe, a nossa primeira fonte de prazer emocional. Esotericamente a Lua demonstra um comportamento já conhecido por nós, representa o que fomos no passado.

Mercúrio rege a mente, o sistema nervoso, está relacionado com as atividades lógicas. Mercúrio é destituído de sensibilidade, de intuição. Sem este planeta, nós seríamos indivíduos puramente instintivos. Ele indica a forma como nos comunicamos (verbal, escrita) com os nossos semelhantes. Além disso é um instrumento que nos permite aferir se pensamos ou não de forma lógica e clara. Sua localização no mapa astral sugere onde podemos ter maior número de informações e trocas, quais os assuntos que influenciam em nosso pensamento. O signo em que estiver colocado indica a nossa maneira de pensar e de tomar decisões. Esotericamente Mercúrio é o responsável por nos fazer compreender a Lei de Causa e Efeito, já que ele representa a razão. Os bons aspectos que o envolvem demonstram uma mente clara, com maior facilidade de receber e passar os conhecimentos, aprender ou preencher nossos ideais. Já os maus aspectos, envolvendo Mercúrio, indicam o mau uso do intelecto e da razão em vidas passadas.

Vênus simboliza a necessidade que todos nós temos em nos relacionar, em estar junto de. Representa a expressão do afeto e do amor. Demonstra como queremos ser desejados, apreciados, e como expressamos as nossas emoções para um parceiro. Este planeta também está associado à beleza, harmonia, música, arte, ou seja, está relacionado aos prazeres materiais (comida, bebida, satisfação sensual). Está associado também à nossa atitude em relação ao valores materiais e sociais. Sua localização, signo e aspectos, nos mostra qual é a nossa atitude em relação ao mundo material e os nosso relacionamentos afetivos.
Os maus aspectos envolvendo este planeta indicam desilusões afetivas e a falta de percepção sobre a beleza da vida, dificultam o desenvolvimento estético e social.

Marte - o “senhor da Guerra” - representa a força de ação, a luta, a luta por nós mesmos (para que não nos deixemos intimidar). É a nossa maneira de causar impacto no mundo. No tema astrológico, a energia marciana pode ser transferida para o assunto que nós classifiquemos como mais importante: trabalho, posição social, família, dinheiro etc. Sob ameaça, é através da energia de Marte que iremos nos defender ou atacar. Sua posição no tema natal mostra onde agimos sem a necessidade de estímulos, pois há iniciativa e liderança. O signo em que estiver colocado mostra a forma de nós agirmos, sob a influencia de nossos desejos. Os maus aspectos associados a este planeta sinalizam a inibição, a fraqueza, o desperdício, ou abusos sexuais. Após esta seqüência de planetas pessoais, teremos a avaliação de Júpiter e Saturno. Estes têm como função nos incutir a noção da lei e da ordem universais. Eles são responsáveis pela fé e a auto-disciplina.

Através de Júpiter formamos a estrutura do certo e errado: a nossa ética, nossa moral. É a necessidade de darmos um sentido à vida, é a nossa filosofia de vida. Representa a nossa capacidade de dar. Por ser um planeta social, sua elevação só ocorre quando conseguimos dar algo de nós mesmos para os outros. Este planeta simboliza também o princípio da expansão no âmbito de nossas ações e de nossa experiências. È a vontade de fazer parte de algo maior, que está além de nossos horizontes. “Ultrapassar  os limites de hoje e ver o que existe para amanhã: a profecia. E vendo, poder fazer julgamentos”. Sua posição no tema natal mostra onde podemos nos tornar felizes, onde deve haver fartura, mas também exageros. Mostra onde pode haver otimismo de nossa parte. O signo em que ele se encontra demonstra como são expressadas as nossas crenças, nossos valores, nossa moral. Ainda sinaliza como partilhamos o que recebemos, a generosidade a cooperação.

O planeta Saturno é bem discutido com o cliente. Isto se deve ao fato de que a casa em que este planeta estiver localizado representa a área da vida em que teremos de estar atentos, pois aqui serão aprendidas as lições mais sérias, as responsabilidades serão maiores. Saturno é chamado por muitos de “Guardião do Umbral” ou Senhor do Karma, pois ele simboliza todo o “nosso mal passado, e perante ele tem que passar aquele que desejar entrar nos mundos internos conscientemente e alcançar um conhecimento completo de suas interdições”. Saturno representa no mapa o que eu chamo de “pedra no sapato”. Costumo dizer que a casa em que ele está localizado e seus aspectos é o mais doloroso para enfrentarmos, porque inicialmente há o sentimento de limitações, medo, constrangimento e a sensação de que nunca iremos relaxar neste setor. Porém o trabalho franco e perseverante para a sua total compreensão nos levará automaticamente à evolução espiritual. A dor que Saturno provoca é aquela que está intimamente ligada ao crescimento. É só através da dor e do sofrimento que o homem aprende. “As experiências frustrantes associados a Saturno são obviamente necessárias, uma vez que são educativas tanto num sentido prático como só conquistam o livre-arbítrio através do autoconhecimento e só procuram esse autoconhecimento quando as coisas se tornam tão dolorosas a ponto de não lhes permitir outra escolha. O que Saturno promove não é o prazer da dor, mais, antes, a alegria da libertação psicológica.” (“Saturno”- Liz Greene). Costumo comparar Saturno a um trem: nós temos a opção de ficarmos parados na estação, com a passagem na mão, aterrorizados com a viagem rumo a um lugar desconhecido. Preferindo assim uma vida pouco enriquecedora permanecendo no lugar de origem. O trem para na estação e nós não embarcamos. E tudo fica como era antes, nós continuaremos limitados. O contrário disso, se o trem pára na estação e de posse da passagem e com as malas prontas embarcamos ansiosos, rumo a um lugar cheio de esperanças, de aprendizado, de uma nova cultura, uma nova maneira de ver talvez uma mesma paisagem, e toda a nossa vida poderá ser modificada diante da nova perspectiva. Por isso vale a pena olharmos bem para Saturno, por mais doloridas que possam ser suas mensagens, o crescimento será inevitável. E o que hoje é dor amanhã será libertação, alegria. Como o budismo nos ensina: devemos nos  entregar plenamente ao sofrimento de forma plena, temos que deixar de existir para dar lugar apenas à dor. Deixando que a dor perdure até que se acabe, voltando, então, para nós mesmos. No instante de se render à dor está a libertação do Eu, e o Eu, segundo Gautama (Buda) é a raiz de toda dor. Os últimos três planetas nesta hierarquia são chamados de “planetas exteriores: Urano, Netuno e Plutão. Representam as energias mais difíceis de serem captadas e trabalhadas por nós mortais.

O planeta Urano tem por função desenvolver a capacidade de compreensão universal. Ele trabalha com as várias facetas da “verdade”. O seu posicionamento no horóscopo promove o desafio para superarmos nosso senso de vaidade pessoal e para darmos valor ao ponto de vista alheio. Desta forma derrubamos as barreiras que nos iSolam dos outros no nível mental, caminhando assim para o desenvolvimento do nosso total potencial intelectual.
Este planeta traz também como desafio podermos passar da independência e da revolta contra as limitações importantes, para uma posição mais flexível, onde a vida poderá ser vivida de várias formas.

O objetivo do planeta Netuno é nos ensinar a elevar as experiências da beleza e do amor a um nível que transcende as nossas vaidades pessoais. Netuno vem demonstrar que todo o amor em que se espera algo em troca estará fadado ao fracasso. Através deste planeta aprendemos a amar sem ser amado. Netuno nos mostra o amor universal - compaixão, compartilhar o sofrimento alheio, etc.
A posição deste planeta no horóscopo mostra o desafio de destruirmos as barreiras que nos isolam dos outros a nível sentimental.

O último planeta exterior é o Plutão. Este astro rege a nossa capacidade de abrir mão de nossa vontade egoísta em prol do benefício da humanidade. Plutão tem a ver com o espírito e não com a matéria. A posição dele no horóscopo faz com que tenhamos de lidar com fortes ligações e compulsões, que podem gerar medo e perda. Experimentaremos a mágoa e o ressentimento em reação às nossas derrotas e perdas.

Ely da Costa Varella

Fases da Lua

CURRENT MOON

Lua Fora de Curso

A Lua fora de Curso se dá quando ela transita por um signo e não faz mais nenhum aspecto (ângulo de zero, sessenta, noventa, cento e vinte e cento e oitenta graus) enquanto está naquele signo. É como se a Lua estivesse incomunicável. O fato de não fazer aspectos indica que aquele assunto não terá sustentação ou vai ocorrer de forma imprevisível.

Neste momento o bom é dar continuidade ao que já se conhece, que já está implantado. Você não vai perceber o efeito desta Lua em casa ou no trabalho fazendo suas atividades do dia-a-dia.

Sabe aquela meditação que nunca arranjamos tempo para fazer ou exercícios de relaxamento que na verdade nunca desligamos totalmente? E aquela massagem que sabemos que merecemos, mas nos falta tempo para nos permitir? Então, essa é a hora certa se praticar tais atividades introspectivas.

E o que não fazer no período desta Lua? Bem aqui vai uma pequena lista:

-Marcar vôos para viagens longas, se você tiver objetivos em outro país (sobretudo de longo prazo).

-Mudar-se de casa.

-Começar qualquer atividade que pretenda ter efeitos a longo prazo.

-Submeter-se a cirurgias.

-Realizar matrículas em cursos.

-Inaugurar empreendimentos (nada de estréia de peça de teatro, exposição, lançamento de livro, etc.)

-Marcar reuniões inaugurais importantes para este período.

-Ter o primeiro encontro para sair com alguém em quem você esteja interessado.

-Marcar consulta com um médico que você ainda não conhece

Tabela da Lua fora de curso para Outubro de 2016

Signo onde a Lua fora de curso está
Dia e horário de início da LFC
Dia e horário do final da LFC

  • 02h44 até 16h44 do dia 02, em Escorpião
  • 22h05 do dia 04 até 05h27 do dia 05, em Sagitário
  • 03h27 até 17h41 do dia 07, em Capricórnio
  • 13h52 do dia 09 até 03h34 do dia 10, em Aquário
  • 20h05 do dia 11 até 09h44 do dia 12, em Peixes
  • 04h14 até 12h09 do dia 14, em Áries
  • 02h24 até 13h05 do dia 16, em Touro
  • 12h47 do dia 17 até 12h31 do dia 18, em Gêmeos
  • 09h18 até 13h29 do dia 20, em Câncer
  • 17h15 até 17h35 do dia 22, em Leão
  • 10h22 do dia 24 até 01h17 do dia 25, em Virgem
  • 16h34 do dia 26 até 11h52 do dia 27, em Libra
  • 08h11 do dia 29 até 00h02 do dia 30, em Escorpião

Os horários correspondem ao horário de Brasília de 3 horas a menos em relação a Greenwich. Para outras localidades, é necessário somar ou subtrair horas, de acordo com o fuso horário.


"O horóscopo de nascimento só pode ser corretamente interpretado por homens e mulheres de sabedoria intuitiva; e destes há poucos" (Paramahansa Yogananda)

"Ainda que os planetas rejam os destinos terrestres, não deveria ser esquecido que Deus os controla. Entregando-nos a Ele, os efeitos planetários são suavizados e algumas vezes mudados. Quando a graça de Deus desce, os efeitos planetários são muito fracos" (primeiro filósofo da Índia: Satguru Keshavedas)



Os Aspectos

Os aspectos podem ser divididos em duas categorias: harmônicos e fluentes, ou dinâmicos e desafiadores, como bem os definiu Stephen Arroyo. Aqui apenas vou citar os principais:

Na primeira categoria, a dos aspectos harmônicos e fluentes estão algumas:

Conjunções
:

este aspecto tem uma distância de zero graus entre os planetas envolvidos. Sua influência positiva ou negativa, varia de acordo com os planetas envolvidos. É considerado o mais importante na astrologia, pois representa a junção de duas fortes energias.

O sêxtil:
a distância entre os planetas envolvidos é de sessenta graus. Considerado um aspecto fácil, pode nem sempre ser aproveitado pelo indivíduo. Ele é sempre uma saída para aliviar a tensão provocada por aspectos difíceis.

O trígono:
este mantém uma distância de cento e vinte graus entre os planetas envolvidos. É o mais fácil de todos os aspectos. Pode indicar um talento fácil de ser expressado. Porém ele pode provocar excessos que podem ser distorcidos devido à cooperação entre os planetas envolvidos.

Na segunda categoria, de aspectos dinâmicos e desafiadores, além de termos novamente algumas conjunções temos:


A quadratura:
este aspecto assinala noventa graus a distância entre os planetas. Este é o aspecto mais difícil, pois acaba trazendo sempre frustrações. Ele provoca tensão interior; são a duas facetas da personalidade em discórdia dentro do indivíduo.

A oposição:
este apresenta uma distância de cento e oitenta graus. Considerado um aspecto negativo, pois existe aqui a necessidade de se chegar ao meio-termo, de aliviar a tensão. Ele não cria uma grande frustração interior, mas quando conseguimos entender uma oposição podemos transformar esta energia em uma expressão mais positiva. Eu gosto de comparar a oposição a uma gangorra: podemos olhar os dois lados dela e desta forma eliminar o excesso do impulso, controlando as duas faces da personalidade.

Ely da Costa Varella