Facebook

sábado, 30 de novembro de 2013

O Hyleg e o Alcocoden



Pelas minhas andanças na internet achei esse site. Para os estudiosos de Astrologia vale a pena a leitura. Esse tema em especial me fez voltar ao meu tempo de estudante sobre o assunto e a lembrança de ficar impressionada com a possibilidade de descobrir a data do desencarne. Claro para uma nativa do signo de Escorpião é pertinente. Eu aprendi com a nomenclatura de Hyleg e Anareta.

Prática dos tempos antigos hoje abandonada graças a Deus, porque o saber do desencarne não nos ajuda em nada. Pelo contrário. A nossa evolução espiritual só ocorre quando nossas atitudes forem espontâneas de acordo com a nossa verdade.

Àqueles que quiserem se aprofundar no assunto tem o link da matéria no final do texto.

“É possível que métodos medievais que visam determinar a expectativa de vida de um indivíduo através do seu mapa natal tenham ainda aplicação no mundo moderno?

Vivemos uma era de novas conquistas tecnológicas alcançadas a cada dia. Os avanços na área da biotecnologia, nos métodos de diagnóstico e de tratamento na medicina moderna nos surpreendem a todo momento. Sob este pano de fundo até onde os métodos medievais de identificação do Hyleg e do Alcocoden continuam válidos?

Na época medieval os astrólogos, geralmente a serviço de monarcas, de nobres e da aristocracia, eram frequentemente também médicos, habituados a conviver com a vida, as doenças e a morte. Iniciavam a leitura do mapa de um recém nascido pela avaliação da sua viabilidade física e longevidade. Era extremamente importante saber se o recém nascido, frequentemente o herdeiro do trono ou de um nobre, seria saudável, se a sua vida seria longa e produtiva trazendo prosperidade ao reino ou se, ao contrário, morreria na infância ou teria uma vida curta e atribulada.

Para isso contavam com um arsenal de regras, que eram aplicadas metódica e sequencialmente, para verificar se aquele nativo atingiria a idade adulta ultrapassando, após o nascimento, as etapas compreendidas pelo período de amamentação, infância e adolescência. Tais regras classificariam os mapas como pertencendo a uma das quatro “Differentia”. Com a identificação do Hyleg e do Alcocoden no mapa natal, o nativo era considerado como pertencendo à 4ª “Differentia” significando que atingiria a idade adulta.

O Hyleg é o planeta ou ponto no Zodíaco que vai indicar a força vital do indivíduo, é habitualmente chamado de doador da vida. O Alcocoden é o planeta que tendo dignidades no local onde se encontra o Hyleg, e fazendo aspecto com ele [1], determinará os anos de vida do nativo.

Uma rápida revisão na literatura medieval sobre o assunto revela-nos um emaranhado de regras, muitas vezes conflituosas, e uma diversidade de opiniões entre autores sobre como identificarmos o Hyleg e o Alcocoden e como aplicar os cálculos correctos para obtermos os anos de vida dados pelo Alcocoden.

É de salientar que a aplicação dos métodos e regras de forma mecânica pode e frequentemente induz a erros, pois é necessário uma avaliação rigorosa dos candidatos a Hyleg e Alcocoden e das dignidades e debilidades que cada planeta possui nos mapas de estudo.

Os locais onde o Hyleg deve ser pesquisado, por ordem de prioridade, são: a casa dez, o Ascendente, desde 5 graus acima até 25 graus abaixo do horizonte, a casa onze, a casa nove e a casa sete.

Os candidatos a Hyleg são: Sol, Lua, Ascendente, a Roda da Fortuna bem como os seus regentes.

O planeta que faz aspecto com o Hyleg, e que tem mais dignidades no grau do Hyleg será o Alcocoden, aquele que vai indicar, por sua posição e aspectos, a expectativa de vida de um indivíduo. É necessário que exista o Hyleg para que se identifique o Alcocoden.
Na escolha do Alcocoden podemo-nos deparar com mais de um planeta que obedeça aos critérios de estar em aspecto com o Hyleg e ter dignidades no local do Hyleg. Nestes casos, devemos observar algumas orientações gerais sobre a escolha a ser feita. Preferir o planeta que: tiver mais dignidades no local do Hyleg, estiver em casa angular ou sucedente, estiver mais próximo da cúspide da casa angular ou sucedente, estiver mais dignificado no seu próprio grau, estiver mais próximo do Sol sem estar combusto, estiver oriental, estiver em aspecto exato ao Hyleg”.



Ely da Costa Varella

Fases da Lua

CURRENT MOON

Lua Fora de Curso

A Lua fora de Curso se dá quando ela transita por um signo e não faz mais nenhum aspecto (ângulo de zero, sessenta, noventa, cento e vinte e cento e oitenta graus) enquanto está naquele signo. É como se a Lua estivesse incomunicável. O fato de não fazer aspectos indica que aquele assunto não terá sustentação ou vai ocorrer de forma imprevisível.

Neste momento o bom é dar continuidade ao que já se conhece, que já está implantado. Você não vai perceber o efeito desta Lua em casa ou no trabalho fazendo suas atividades do dia-a-dia.

Sabe aquela meditação que nunca arranjamos tempo para fazer ou exercícios de relaxamento que na verdade nunca desligamos totalmente? E aquela massagem que sabemos que merecemos, mas nos falta tempo para nos permitir? Então, essa é a hora certa se praticar tais atividades introspectivas.

E o que não fazer no período desta Lua? Bem aqui vai uma pequena lista:

-Marcar vôos para viagens longas, se você tiver objetivos em outro país (sobretudo de longo prazo).

-Mudar-se de casa.

-Começar qualquer atividade que pretenda ter efeitos a longo prazo.

-Submeter-se a cirurgias.

-Realizar matrículas em cursos.

-Inaugurar empreendimentos (nada de estréia de peça de teatro, exposição, lançamento de livro, etc.)

-Marcar reuniões inaugurais importantes para este período.

-Ter o primeiro encontro para sair com alguém em quem você esteja interessado.

-Marcar consulta com um médico que você ainda não conhece

Tabela da Lua fora de curso para Outubro de 2016

Signo onde a Lua fora de curso está
Dia e horário de início da LFC
Dia e horário do final da LFC

  • 02h44 até 16h44 do dia 02, em Escorpião
  • 22h05 do dia 04 até 05h27 do dia 05, em Sagitário
  • 03h27 até 17h41 do dia 07, em Capricórnio
  • 13h52 do dia 09 até 03h34 do dia 10, em Aquário
  • 20h05 do dia 11 até 09h44 do dia 12, em Peixes
  • 04h14 até 12h09 do dia 14, em Áries
  • 02h24 até 13h05 do dia 16, em Touro
  • 12h47 do dia 17 até 12h31 do dia 18, em Gêmeos
  • 09h18 até 13h29 do dia 20, em Câncer
  • 17h15 até 17h35 do dia 22, em Leão
  • 10h22 do dia 24 até 01h17 do dia 25, em Virgem
  • 16h34 do dia 26 até 11h52 do dia 27, em Libra
  • 08h11 do dia 29 até 00h02 do dia 30, em Escorpião

Os horários correspondem ao horário de Brasília de 3 horas a menos em relação a Greenwich. Para outras localidades, é necessário somar ou subtrair horas, de acordo com o fuso horário.


"O horóscopo de nascimento só pode ser corretamente interpretado por homens e mulheres de sabedoria intuitiva; e destes há poucos" (Paramahansa Yogananda)

"Ainda que os planetas rejam os destinos terrestres, não deveria ser esquecido que Deus os controla. Entregando-nos a Ele, os efeitos planetários são suavizados e algumas vezes mudados. Quando a graça de Deus desce, os efeitos planetários são muito fracos" (primeiro filósofo da Índia: Satguru Keshavedas)



Os Aspectos

Os aspectos podem ser divididos em duas categorias: harmônicos e fluentes, ou dinâmicos e desafiadores, como bem os definiu Stephen Arroyo. Aqui apenas vou citar os principais:

Na primeira categoria, a dos aspectos harmônicos e fluentes estão algumas:

Conjunções
:

este aspecto tem uma distância de zero graus entre os planetas envolvidos. Sua influência positiva ou negativa, varia de acordo com os planetas envolvidos. É considerado o mais importante na astrologia, pois representa a junção de duas fortes energias.

O sêxtil:
a distância entre os planetas envolvidos é de sessenta graus. Considerado um aspecto fácil, pode nem sempre ser aproveitado pelo indivíduo. Ele é sempre uma saída para aliviar a tensão provocada por aspectos difíceis.

O trígono:
este mantém uma distância de cento e vinte graus entre os planetas envolvidos. É o mais fácil de todos os aspectos. Pode indicar um talento fácil de ser expressado. Porém ele pode provocar excessos que podem ser distorcidos devido à cooperação entre os planetas envolvidos.

Na segunda categoria, de aspectos dinâmicos e desafiadores, além de termos novamente algumas conjunções temos:


A quadratura:
este aspecto assinala noventa graus a distância entre os planetas. Este é o aspecto mais difícil, pois acaba trazendo sempre frustrações. Ele provoca tensão interior; são a duas facetas da personalidade em discórdia dentro do indivíduo.

A oposição:
este apresenta uma distância de cento e oitenta graus. Considerado um aspecto negativo, pois existe aqui a necessidade de se chegar ao meio-termo, de aliviar a tensão. Ele não cria uma grande frustração interior, mas quando conseguimos entender uma oposição podemos transformar esta energia em uma expressão mais positiva. Eu gosto de comparar a oposição a uma gangorra: podemos olhar os dois lados dela e desta forma eliminar o excesso do impulso, controlando as duas faces da personalidade.

Ely da Costa Varella